Traduzir-se

A asa-do-avião o desterra
o ameaça:
lançar-te-ei em anonimato!

desaparece João,

O estrangeiro vê-se suspenso
e quer imergir

É distinto
e deseja vulgarizar-se

Quer abrir portas
mas a língua o escapa.

Ora,

da sua Mátria,

Falam-lhe do presidente
que não o representa

Do futebol-espetáculo
que ele não vê

Da economia emergente
que tampouco acompanha

Insatisfeito, o estrangeiro
recolhe-se à sua
ex-centricidade

Insatisfeito, mas obstinado
ensaia sorrateiro
a sua coerência terrena

E neste novo mundo
(para si)
de bandeiras caducas

Anseia gentes, projetos
anarquias

Tudo isso para
que a Europa seja
mais que um álbum
de fotografias.

Tags:

Uma resposta to “Traduzir-se”

  1. Rafael Digal Says:

    carái! muuuito bom… Não lembrava que tu escrevia tão bem… parabéns meu ídolo! bjosssssss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: